Justiça prorroga prisão de suspeitos de fraude na Saúde

A Justiça de Sorocaba (SP) prorrogou por mais cinco dias hoje a prisão temporária das oito pessoas suspeitas de envolvimento no esquema de fraudes contra o sistema público de saúde. Os acusados foram presos no último dia 16 durante a Operação Hipócrates, desencadeada em conjunto pela Polícia Civil e pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público de São Paulo.

JOSÉ MARIA TOMAZELA, Agência Estado

20 Junho 2011 | 19h43

O MP pediu a prorrogação alegando a necessidade de confrontar informações e completar a apuração das fraudes. Hoje, a Secretaria de Estado da Saúde nomeou o interventor do Conjunto Hospitalar de Sorocaba (CHS), principal foco das fraudes. O médico e atual diretor executivo do Instituto da Radiologia do Hospital das Clínicas da FMUSP, Luis Claudio de Azevedo Silva, terá um prazo de 60 dias para fazer um diagnóstico da situação assistencial e administrativa do hospital.

A Secretaria também determinou a instalação obrigatória, em 90 dias, de sistemas de ponto eletrônico nos hospitais ligados à pasta. Também foi determinada a realização de uma auditoria em todos os hospitais onde há a realização de plantões médicos, para verificar como eles estão sendo feitos.

Mais conteúdo sobre:
fraude saúde SP prisão

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.