Kim Jong-il é muito egoísta para iniciar guerra,dizem desertores

O líder norte-coreano, Kim Jong-il, está provavelmente animado pelo fervor patriótico causado pelo teste nuclear desta semana, mas está preocupado demais com seu próprio bem-estar para iniciar uma guerra, disseram desertores norte-coreanos nesta quinta-feira.

REUTERS

28 de maio de 2009 | 10h36

Pobreza, fome e opressão política levaram dezenas de milhares de norte-coreanos a cruzar a fronteira para buscar uma vida melhor.

"Por que eles têm de fazer isto novamente? Se eles já têm todo o poder militar, talvez seria um plano sábio tornar a vida das pessoas melhor", disse a jornalistas um desertor chamado Choi, em um centro na Coreia do Sul destinado a ajudar recém-chegados ao país.

Os desertores pedem para não ser identificados pelos seus sobrenomes, uma vez que o Norte costuma punir os parentes dos foragidos.

O Norte comunista, enfrentando a censura internacional por seu segundo teste nuclear, ameaçou atacar o Sul após o governo de Seul ter se unido à proposta dos Estados Unidos de checar embarcações suspeitas de carregar equipamentos ligados a armas de destruição em massa.

"Tudo o que Kim Jong-il pensa é sobre ele mesmo, e por causa disto ele não iniciaria uma guerra", disse Cho, outro desertor, ecoando os comentários de tantos outros.

Cerca de 14 mil desertores passaram pelo centro do Ministério da Unificação Hanawon na cidade de Anseong, sul de Seul, desde que o local foi inaugurado há cerca de 10 anos.

(Por Jack Kim)

Tudo o que sabemos sobre:
COREIANDESERTORES*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.