Kouvelis, da Grécia, mantém sua postura a favor do euro

O líder da Esquerda Democrática da Grécia, Fotis Kouvelis, reiterou neste domingo que seu partido não vai apoiar as políticas de austeridade mas que quer manter o país na zona do euro, depois que os resultados iniciais mostraram que seu partido pode ter um papel importante na eleição.

REUTERS

06 Maio 2012 | 18h17

"Estamos seguindo o nosso programa: queremos nos libertar do acordo de resgate, ao mesmo tempo em que mantemos uma posição pró-Europa constante", ele disse aos repórteres.

"A esquerda Democrática vai honrar suas promessas pré-eleições. Não vamos contribuir para a manutenção das políticas que estão levando o povo e a sociedade à miséria. Não vamos ser um disfarce para as políticas de austeridade."

O partido está no caminho certo para ficar com cerca de 6 por cento dos votos, de acordo com os resultados iniciais.

Já o líder conservador grego, Antonis Samaras, disse neste domingo que estava pronto para tentar formar um governo de "salvação nacional" e pediu que os partidos pró-europeus se juntassem a ele.

"Estamos prontos para assumir a responsabilidade de formar um governo de salvação nacional com dois objetivos -para que a Grécia permaneça na zona do euro e para ajustar as políticas de resgate, a fim de ter um crescimento e trazer alívio para a sociedade grega", ele disse no seu primeiro comentário desde o fechamento das urnas.

O Partido Nova Democracia, de Samaras, está liderando as eleições gerais da Grécia, mas os resultados iniciais mostram que o partido precisará lutar para renovar sua coalizão pró-resgate com o partido socialista rival PASOK, já que os dois partidos foram castigados pelos eleitores, por apoiarem políticas de austeridade.

Mais conteúdo sobre:
GRECIA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.