Laboratório indonésio confirma morte de criança por gripe aviária

Uma menina indonésia de um ano, que morreuna quinta-feira, portava o vírus H5N1, causador da gripe aviária e o mais perigoso entre seres humanos, segundo resultado de análise feita por um laboratório local, confirmaram neste sábado fontes sanitárias."As análises do Ministério da Saúde deram positivo", declarou o diretor de erradicação de doenças animais do Ministério da Saúde,Hariadi Wibisono, que acrescentou que o bebê morreu em um hospital de Jacarta, sem que se saiba com exatidão a fonte do contágio.O dirigente indicou que amostras extraídas da criança foram enviadas a um centro especializado em Hong Kong -reconhecido pelaOrganização Mundial da Saúde (OMS)- para novos exames. Caso seja confirmada a presença do vírus H5N1, a morte da menina elevará para 23 o número de vítimas fatais da doença na Indonésia.O anúncio do Ministério da Saúde indonésio foi feito um dia depois de a OMS ter confirmado que uma menina de três anos era a quinta vítima fatal do vírus H5N1 no Camboja.Cenário mundialNo âmbito internacional, o vírus H5N1 se propagou por mais de 20 países, afetando seres humanos em seis deles. Além disso, o mal foi detectado em outras espécies de animais como porcos e felinos.Com a última morte confirmada no Camboja, até o momento foram registradas 104 pela doença em todo o mundo, segundo dados da OMS.O vírus H5N1 da gripe aviária reapareceu no sudeste asiático no final de 2003, e desde então se estendeu pelos continentes europeu,africano e asiático.Analistas epidemiológicos temem que o vírus apresente mutações e possa ser transmitido com facilidade entre seres humanos, o quepoderia desencadear uma grave pandemia em nível mundial.

Agencia Estado,

25 de março de 2006 | 09h51

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.