Ladrões batem o carro em seqüestro relâmpago e são presos

Fisioterapeuta é rendida quando chega em bar; testemunhas chamam a polícia e bandidos são perseguidos

Agência Estado,

27 de novembro de 2007 | 07h02

Uma fisioterapeuta de 50 anos viveu momentos de extrema tensão na noite de segunda-feira, 26, na região do Butantã, na zona oeste da capital paulista. Enquanto estacionava seu carro, foi rendida por dois bandidos, por volta das 22h30, em frente ao bar Rei das Batidas, na Avenida Valdemar Ferreira, onde se encontraria com amigos. Armados com uma pistola, os criminosos entraram no carro da fisioterapeuta. Um deles foi para o banco de trás e outro assumiu o volante. Um motorista que testemunhou a ação ligou para a PM e começou a seguir o carro. Policiais militares do 16º Batalhão deram início à perseguição, que terminou na Rua Profº Máximo Ribeiro Nunes, paralela à Rodovia Raposo Tavares, próximo ao km 12, onde o bandido perdeu o controle do carro e bateu em um poste. Em posse de dinheiro, cartões e bolsa da vítima, os assaltantes, que não portavam documentos, se entregaram e foram encaminhados ao 34º Distrito Policial, de Vila Sônia. A fisioterapeuta, que ficou 15 minutos em poder dos bandidos, saiu ilesa.

Tudo o que sabemos sobre:
seqüestro relâmpagoviolência em SP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.