Ladrões roubam 200 kg de dinamite no interior do Ceará

Criminosos disseram que carga seria usada para roubar banco, como aconteceu há alguns dias em Quixadá

Carmem Pompeu, O Estado de S.Paulo

18 de fevereiro de 2009 | 14h52

Cerca de 200 quilos de dinamite foram roubados, na manhã desta quarta-feira, 18, em Quixadá, no Sertão central cearense. A carga seria usada nas obras de saneamento pelas quais passa o município. Quatro homens armados e encapuzados renderam o motorista do caminhão, que conduzia a carga, no centro da cidade.   Veja também: Quadrilha rouba dinheiro de banco por túnel no CE   De acordo com o delegado regional, José Edilson de Oliveira Sobrinho, os assaltantes disseram, ironizando, que iriam usar a dinamite para roubar bancos. Foi em Quixadá que ladrões furtaram R$ 1,2 milhão, no último fim de semana, da agência do Banco do Brasil (BB). O dinheiro foi levado através de um túnel. Ninguém até agora foi preso.   Jairo Pequeno, diretor do Departamento de Polícia Especializada, investiga se há alguma relação entre o roubo dos explosivos e o furto ao BB. Segundo o delegado Wilder Brito, a perícia feita no túnel que deu acesso ao cofre do banco não constatou o uso de explosivos.   De acordo com ele, a técnica foi a mesma adotada pelos ladrões que furtaram R$ 164,7 milhões do Banco Central (BC) de Fortaleza, em agosto de 2005. "Eles fizeram desgastes com pequenos furos e depois o chão da caixa-forte foi rompido com o uso de um macaco hidráulico", disse o delegado.   Peritos da Polícia Federal (PF) ajudaram na perícia e recolheram vestígios deixados pelos ladrões. As amostras foram mandadas para Brasília, onde serão confrontadas com as digitais das 120 pessoas acusadas de envolvimento no caso BC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.