Lançador de satélites de Alcântara poderá operar em 2007

A torre lançadora de satélites do Centro de Lançamento de Alcântara (CLA), no Maranhão, deverá voltar a funcionar quatro anos depois de um acidente que vitimou 21 pessoas. O objetivo do governo é reconstruir a base e começar a lançar veículos lançadores de satélites (VLS) até o final de 2007. A informação foi dada à Agência Brasil pelo secretário executivo do Ministério da Ciência e Tecnologia, Luís Fernandes, na última sexta-feira. Segundo ele, a base para os VLS deveria voltar a operar ainda neste ano, mas a agência espacial russa, parceira do Brasil, apontou problemas no projeto. Para fazer as alterações necessárias, o governo brasileiro adiou o lançamento do foguete, que serve para colocar satélites em órbita. ?Depois do acidente ocorrido em 2003, estabeleceu-se uma parceria com a agência espacial russa para examinar melhor as causas do acidente. E essa consultoria fez uma série de recomendações que tiveram de ser incorporadas ao projeto da torre e do próprio VLS. Isso atrasou um pouco o cronograma?, disse Fernandes. No dia 22 de agosto de 2003, o VLS-1 V03 explodiu dias antes de seu lançamento, danificando a torre do Centro de Alcântara e matando 21 técnicos e engenheiros que trabalhavam no projeto. Antes disso, o Brasil já havia feito duas tentativas de lançar foguetes VLS, ambas frustradas por problemas nos veículos lançadores.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.