Lanxess prevê queda nos ganhos com mercado de pneus enfraquecido

A Lanxess, maior fabricante mundial de borracha sintética, alertou sobre uma queda brusca nos ganhos do primeiro trimestre, juntando-se à lista de fornecedores automobilísticos atingidos pelo fraco mercado de carros na Europa.

LUDWIG BURGER, Reuters

21 de março de 2013 | 11h00

As ações da companhia alemã caíram mais de 7 por cento, atingindo a mínima em sete meses e ocasionando a queda de 1,4 por cento no índice do setor químico STOXX Europe 600.

A Lanxess disse que o ganho cairá no primeiro trimestre para entre 160 milhões de euros (207 milhões de dólares) e 180 milhões antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês), após itens extraordinários.

Isso comparado aos 369 milhões no ano passado.

A Lanxess, que no início deste mês avisou que a demanda implícita deste ano permanecia fraca até o momento, disse que o lucro principal ajustado não atingiria o nível recorde do ano anterior.

A companhia afirmou que iria controlar os custos mas manter o investimento em plantas e equipamentos inalterado entre 650 milhões e 700 milhões de euros este ano, bancando um crescimento de longo prazo em mercados emergentes.

Como outros grupos industriais da Europa, a empresa quer canalizar a demandas por pneus e componentes de borracha para carros na Ásia e América Latina. A companhia vai colocar em operação uma planta de 400 milhões de euros em Cingapura este ano e incrementar uma unidade no Brasil.

Tudo o que sabemos sobre:
AUTOLANXESSALEMANHA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.