Latino-americanos são os mais otimistas com 2008, diz pesquisa

Levantamento mostra 56% dos moradores da região otimistas, contra 33% da média mundial.

BBC Brasil, BBC

20 de dezembro de 2007 | 09h30

Os latino-americanos são os mais otimistas sobre o próximo ano, segundo indica uma pesquisa divulgada nesta quinta-feira pelo grupo Gallup International Association.A proporção de latino-americanos que acreditam que 2008 será melhor do que 2007 é de 56%, contra 33% da média mundial.A pesquisa Voice of the People (Voz do Povo) ouviu mais de 50 mil pessoas entre outubro e dezembro em 54 países de todos os continentes - o Brasil, porém, não foi incluído.O levantamento deste ano mostra uma queda no otimismo mundial em relação ao ano anterior, quando 43% das pessoas entrevistadas disseram acreditar que 2007 seria melhor do que 2006.Na pesquisa deste ano, 26% se disseram pessimistas com relação a 2008, enquanto 32% disseram não esperar grandes mudanças.Menos otimistasAssim como já havia ocorrido em 2006, os moradores da Europa Ocidental foram os que se mostraram menos otimistas neste ano - 30% disseram esperar que 2008 seja melhor do que 2007.Entre os locais pesquisados, Hong Kong registrou a maior taxa de otimismo com 2008 (71%), seguido de Kosovo (68%), Colômbia (66%), Nova Zelândia (57%) e Venezuela (53%).A maior taxa de pessimismo foi verificada no Senegal, onde 53% dos entrevistados disseram esperar que 2008 seja pior do que 2007. Em seguida estão Grécia (48% de pessimistas), Itália (44%), República Tcheca, Suíça e Jordânia (todos com 43%).A comparação entre as pesquisas do ano passado e deste ano mostram que cresceu o otimismo no Iraque, onde 47% acreditavam no ano passado que 2007 seria pior do que 2006. Neste ano, a taxa de pessimismo no país caiu para 24%, enquanto 38% esperam um 2008 melhor do que 2007.EconomiaA pesquisa também verificou as expectativas das pessoas sobre o comportamento da economia no ano que vem. A proporção de pessoas que espera um próximo ano com mais problemas econômicos aumentou de 23% para 35% entre as pesquisas de 2006 e 2007.As maiores taxas de pessimismo sobre a situação econômica no ano que vem foram registradas na África (46%), na América do Norte (43%) e na Europa Ocidental (40%). Os latino-americanos se mostraram novamente os mais otimistas em relação a 2008 quando consideradas as perspectivas econômicas - 43% disseram esperar um ano de prosperidade no ano que vem.A América Latina também registrou o menor índice de pessoas que acreditam num aumento do desemprego em 2008, com 29%, pouco abaixo dos 31% verificados no Leste Europeu - a média mundial foi de 43%.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.