Lei Seca pode ser julgada no STF, diz Gilmar Mendes

Para presidente, 'beber e dirigir são elementos incompatíveis' e que lei deve ser levada a sério

Agência Estado

01 de julho de 2008 | 20h32

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Gilmar Mendes, disse nesta terça-feira, 1º, que a Lei Seca poderá ser questionada na Corte. "Pode ser que haja uma ação direta de inconstitucionalidade (Adin) sobre o tema. Eu já tive oportunidade de me pronunciar sobre a necessidade de uma legislação mais rigorosa sobre essa questão, do álcool e bebida", afirmou. "Todos nós que temos alguma oportunidade de viajar para fora sabemos dos cuidados que todos tomam ao ingerir um copo de cerveja porque sabem que, na direção de um veículo, estão submetidos aos rigores da lei, em caso de eventual infração criminal. Acredito que nós temos de levar isso a sério."     Veja também: Veja os principais pontos da Lei Seca Delegado pede bom senso para aplicação da Lei Seca Comerciantes da noite tentam se adaptar às medidas De acordo com Mendes, os números são "assustadores". "Eu sei que há um debate sobre essa desproporcionalidade da lei, o fato de não se ter contemplado um índice mínimo. Será, se chegar ao Supremo Tribunal Federal, devidamente apreciada. Mas eu disse que beber e dirigir são elementos incompatíveis, e me parece que se deve seguir nessa direção correta", disse.

Tudo o que sabemos sobre:
Gilmar MendesSTFlei seca

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.