Lewandowski vota pela condenação de Marcos Valério por corrupção ativa

O ministro revisor da ação penal do chamado mensalão, Ricardo Lewandowski, votou nesta quarta-feira pela condenação do empresário Marcos Valério por corrupção ativa e dois atos de peculato, acompanhando até o momento o voto do relator do processo, Joaquim Barbosa.

Reuters

22 de agosto de 2012 | 19h09

Marcos Valério é considerado o principal operador do suposto esquema de desvio de recursos públicos para compra de apoio parlamentar, que ficou conhecido como mensalão.

Ao afirmar estar convencido que havia irregularidades nos repasses do bônus de volume --comissão paga pelos meios de comunicação à agências quando seus clientes anunciam-- entre as agências de Valério e o Banco do Brasil, Lewandowski disse que fez uma "guinada de 180 graus" no seu voto de terça para esta quarta-feira.

"Eu estava convencido até ontem à noite (de que não havia irregularidade no repasse)... revendo a espécie probatória, me deparei com docmentos que me fizeram dar uma guinada de 180 graus para acompanhar o voto do ministro Joaquim Barbosa", disse ele.

Mais cedo, ele condenou o ex-diretor de Marketing do Banco do Brasil Henrique Pizzolato por corrupção passiva, dois atos de peculato e lavagem de dinheiro.

(Reportagem de Ana Flor e Hugo Bachega)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.