Líbano quer processar Israel por vazamento de óleo

O governo libanês planeja processar Israel, por conta de um grave vazamento de óleo, provocado pelo bombardeio de uma usina de eletricidade. O derramamento está sendo descrito como o pior desastre ambiental da história do país. O ministro do Meio Ambiente, Yacoub Sarraf, disse que o Líbano buscará reparação legal pelo "crime inacreditável", mas não deu mais detalhes.Não está claro, também, se o processo fará parte de um pedido maior de compensação, pelos danos a estradas e à infra-estrutura civil durante a atual campanha israelense contra o grupo guerrilheiro Hezbollah.Pelo menos 110.000 barris de petróleo foram derramados no Mediterrâneo depois que as bombas atingiram a central elétrica de Jiyeh, ao sul de Beirute, em 16 de julho. Quase um mês depois, um tanque ainda arde em chamas e um "ar tóxico" se espalha pelo país, de acordo com Sarraf. A avaliação do ministro dá a este derramamento a proporção de 25% do provocado pelo petroleiro Prestige na costa da Espanha, em 2002.Esforços para limpar o oceano vêm sendo impedidos por um bloqueio naval israelense. O vazamento já tomou cerca de um terço da costa libanesa, e chegou ao litoral da Síria.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.