Líbano tenta conter desastre ambiental sob bloqueio israelense

o conflito entre Israel e a milícia xiita Hezbollah, e ainda sobbloqueio marítimo e aéreo, o Líbano tenta enfrentaro desastre ambiental causado pelo derramamento de cerca de 15 miltoneladas de petróleo no Mar Mediterrâneo durante o conflito. O vazamento foi causado por bombardeios israelenses que atingiramos depósitos da usina elétrica de Jiyeh, próxima a Beirute, doisdias após o início do conflito.Cerca de 200 quilômetros do litoral, ou seja, praticamente toda acosta libanesa, foi atingida pelo vazamento, segundo fontes doCentro de Monitoramento de Informação (MIC), organismo europeu quecoordena a assistência em zonas de emergência.As autoridades libanesas pediram ajuda internacional e exigiram ofim do bloqueio israelense para que possam fazer frente à catástrofeecológica.Há dois dias, o governo libanês recebeu finalmente a autorizaçãopara sobrevoar a costa, graças à mediação das Nações Unidas, queconseguiram que Israel suspendesse o embargo para as atividadesrelacionadas ao desastre ambiental.A Força Interina da ONU para o Líbano (Finul) prometeu ceder umdos seus helicópteros na próxima segunda-feira.Beirute solicitou à União Européia (UE) um avião equipado paraesse tipo de missão, informou o ministro do Meio Ambiente do Líbano,Yacoub Sarraf. A organização ecologista Greenpeace possui uma embarcaçãopreparada para recolher o combustível depositado no fundo do mar,mas para que possa operar é necessário que Israel suspenda obloqueio marítimo. As dificuldades no acesso à região impediram a localização exatado petróleo no mar e ainda não se sabe se novas manchas podematingir a costa libanesa ou se vão se deslocar em direção ao Chipreou ao litoral sírio.

Agencia Estado,

25 de agosto de 2006 | 17h32

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.