Liberado mais um trecho duplicado da Régis Bittencourt

A Autopista Régis Bittencourt, empresa do Grupo Arteris, informou nesta quarta-feira, 19, que liberou ao tráfego mais um trecho de pista nova da duplicação na Serra do Cafezal, um segmento da pista sentido Curitiba da Rodovia Régis Bittencourt (BR-116/SP/PR) entre o km 346,8 e o km 347,8, com a conclusão de mais um novo viaduto. Com isso, a concessionária completa o lote que havia sido liberado em parte em agosto.

LUCIANA COLLET, Estadão Conteúdo

19 Novembro 2014 | 15h57

"Com os novos trechos concluídos e liberados este ano, a concessionária já entregou 17,5 quilômetros de pista nova, o que representa quase 60% do total das obras de duplicação", declarou a empresa, em nota.

A Arteris destacou que as frentes de trabalho seguirão com obras em três túneis e cinco viadutos, em um segmento de 4,5 quilômetros da Serra do Cafezal, em trechos intercalados, em ambos os sentidos da rodovia. Um trecho de aproximadamente oito quilômetros na parte central da Serra do Cafezal receberá obras a partir do ano que vem.

A duplicação da Serra do Cafezal é a principal obra do contrato de concessão da Autopista Régis Bittencourt e uma das atuais prioridades da Arteris. Pelo cronograma original já deveria estar pronta. O atraso se deve, pelo menos em parte, à dificuldade de obtenção da licença ambiental, que foi emitida apenas em janeiro do ano passado.

No total, a duplicação é de 30 quilômetros, entre os km 336,7 (Juquitiba-SP) e km 367 (Miracatu-SP) e inclui 36 pontes e viadutos e quatro túneis. A conclusão total das obras está prevista para fevereiro de 2017. As obras têm o custo inicialmente previsto de R$ 700 milhões.

Mais conteúdo sobre:
Régis Bittencourt duplicação

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.