Líder da Renascer apresenta-se para iniciar pena de prisão

Estevam Hernandes ficará primeiros 140 dias em regime fechado, enquanto Sônia cumpre a prisão domiciliar

20 de agosto de 2007 | 16h29

O líder da Igreja Apostólica Renascer em Cristo, Estavam Hernandes, apresentou-se ao Centro de Detenção Federal da Flórida ao meio-dia desta segunda-feira, cumprindo compromisso assumido com a Justiça americana, para cumprir pena de 140 dias de prisão.   Estevam a e mulher, Sônia, foram condenados, na última sexta-feira, a pena de dez meses de reclusão, descontados os dez dias que já passaram presos, por entrar nos EUA com US$ 56 mil não declarados.   O casal cumprirá a pena de forma alternada. Estevam ficará primeiros 140 dias em regime fechado, enquanto Sônia cumpre a prisão domiciliar. A partir do final de janeiro, as posições se invertem.   Antes de iniciarem a pena, Estevam e a esposa realizaram, no último fim de semana, quatro transmissões de cultos pedindo aos fiéis que façam uma demonstração de força e carinho ao casal.   Eles terão de cumprir, ainda, dois anos de liberdade condicional, período em que estarão impossibilitados de deixar o país. A Corte Federal dos Estados Unidos ainda determinou o confisco do dinheiro apreendido no momento da detenção e mais uma multa de US$ 30 mil para cada um.   A Igreja Renascer em Cristo emitiu nota, no fim da semana passada, comentando a decisão da Corte Federal em Miami. "Nós continuamos orando, praticando boas obras, auxiliando o próximo, combatendo o bom combate. Nós oramos por nosso Apóstolo e nossa Bispa, sabedores de que, cumprida a sentença, estarão de volta para nos orientar de perto", diz a nota o ficial da Renascer.

Tudo o que sabemos sobre:
religiãorenascerestevam

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.