Líder de centro-esquerda busca caminhos para sair de impasse na Itália

O líder da centro-esquerda da Itália, Pier Luigi Bersani, disse no domingo que vai pedir apoio do Parlamento para suas políticas de criação de empregos e combate à corrupção, na falta de apoio suficiente para formar um governo.

JAMES MACKENZIE, Reuters

17 de março de 2013 | 15h13

O impasse depois de uma eleição indefinida em fevereiro e a ameaça de meses de instabilidade política provocaram alarme em toda a Europa e alertas de que a Itália não pode se dar ao luxo de atrasar reformas urgentemente necessárias para impulsionar sua economia deficiente.

O presidente Giorgio Napolitano deve iniciar consultas com os líderes políticos na quarta-feira para ver se há alguma chance de estabelecer um governo.

Bersani, líder do Partido Democrático (PD) de centro-esquerda, ganhou o controle da Câmara, mas não alcançou os votos necessários para o Senado, deixando-o dependente do apoio de seus rivais para formar um governo.

Ele disse que falaria a Napolitano que não tentaria chegar a nenhum acordo definido com antecedência, mas que iria apresentar um conjunto de propostas ao Parlamento com base no combate à corrupção e na criação de empregos.

"O caminho é muito, muito estreito. Acho que posso dizer que outros caminhos seriam ainda mais estreitos ", disse.

Se nenhum entendimento que permita que um governo seja formado for alcançado, a Itália enfrenta a perspectiva de um retorno às urnas, possivelmente já em junho, embora Bersani afirmou esperar que isso não seja necessário.

Tudo o que sabemos sobre:
ITALIABERSANIAPOIOPOLITICOIMPASSE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.