Líder democrata dos EUA pede unidade em reunião decisiva

Comitê discute se 2 Estados devem ajudar a definir candidato à Presidência.

Da BBC Brasil, BBC

31 de maio de 2008 | 17h09

O presidente do Partido Democrata dos Estados Unidos, Howard Dean, fez neste sábado um apelo pela unidade do Partido, durante um encontro de um comitê que irá tomar uma decisão crucial para a definição do candidato democrata à Casa Branca.O Comitê de Regras está discutindo o que fazer com os delegados dos Estados da Flórida e de Michigan, que realizaram prévias adiantadas, em desacordo com as regras partidárias, e foram punidos com a retirada de todos os seus delegados da Convenção Nacional Democrata, marcada para agosto. A convenção irá definir o candidato à Presidência nas eleições de novembro - e a pré-candidata Hillary Clinton, que venceu nos dois Estados, quer que o comitê autorize esses delegados a votarem nela, o que pode levá-la a virar o jogo contra Barack Obama, que lidera a corrida pela indicação.Dean disse na abertura da reunião do Comitê de Regras que queria que a decisão fosse parte de "um processo de cura que nos unifique, que nos permita raciocinar juntos, que resulte em uma negociação no grupo, não em confrontação, de forma que, quando deixemos esta sala, estejamos todos vestindo os mesmos casacos azuis, para que possamos ir atrás dos republicanos com casacos vermelhos em novembro"."Isto não é a respeito de Barack Obama ou de Hillary Clinton, isto tem a ver com nosso país. Isto tem a ver com restaurar a grandeza dos Estados Unidos, restaurar nossa autoridade moral e fechar as feridas domésticas dos Estados Unidos."ProtestosO encontro dos 30 membros do Comitê de Regras, em Washington, mobilizou eleitores democratas, que se reuniram em uma manifestação perto de onde o grupo está reunido.Muitos carregam cartazes e gritam palavras de ordem, exigindo que o Comitê faça valer os votos da Flórida e de Michigan.Oficialmente, Hillary venceu as primárias de janeiro nos dois Estados, mas nem ela nem Obama fizeram campanha nos dois locais e o nome do senador nem mesmo constava da cédula eleitoral.Caso o Comitê decida reverter a punição aos dois Estados, Clinton terá apenas mais 43 delegados. Mas ela poderia terminar a temporada de primárias alegando ter ganhado a maioria dos votos populares.Segundo o correspondente da BBC em Washington James Coomarasamy, o comitê deve optar por um meio-termo - como permitir a participação de metade dos delegados de cada Estado na convenção - o que faria pouca diferença em relação à situação atual.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.