Líder do movimento grevista da PM na Bahia é solto

Ex-soldado Marco Prisco liderou a ocupação, por parte de PMs grevistas, da Assembleia Legislativa

Tiago Décimo, Agência Estado

23 Março 2012 | 19h13

BAHIA - Apontado como principal líder da greve promovida pela Polícia Militar na Bahia, no início de fevereiro, o ex-soldado Marco Prisco foi solto na tarde desta sexta-feira, 23, após passar 44 dias detido. Durante esse período, ele ficou isolado em uma cela na Cadeia Pública de Salvador. Prisco deixou a unidade por volta das 15 horas, acompanhado por um advogado, após a 2ª Vara Crime de Salvador acolher um pedido de habeas corpus.

Prisco liderou a ocupação, por parte de PMs grevistas, da Assembleia Legislativa da Bahia. O prédio foi isolado por tropas do Exército até a desocupação, em 9 de fevereiro. O ex-PM foi preso ao deixar o local. Prisco deve responder em liberdade às acusações de formação de quadrilha, roubo de patrimônio público e incitação à violência.

A paralisação dos militares foi realizada entre os dias 31 de janeiro e 11 de fevereiro.

Mais conteúdo sobre:
greve PM Bahia paralisação preso

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.