Líder empresarial italiano pede governo de emergência

Um dos mais proeminentes empresários da Itália, frequentemente visto como potencial líder de um governo transitório de unidade nacional, pediu nesta segunda-feira que o primeiro-ministro Silvio Berlusconi renuncie imediatamente para estancar a crescente crise no país.

REUTERS

31 Outubro 2011 | 07h49

Em carta ao diário La Repubblica, Luca Cordero di Montezemolo, presidente da fábrica de carros esportivos Ferrari, disse que a Itália alcançou o "ponto de não retorno", evidenciado nos títulos de 10 anos mantidos a taxas insustentáveis de 6 por cento.

"Não há um minuto a perder. As economias do povo italiano, a coesão social e a adesão da Itália ao euro estão em risco", escreveu. "Nós não temos tempo para esperar pela evolução natural da situação política. O primeiro-ministro tem de compreender que o único jeito de salvar o país é por meio de um governo de segurança pública."

A dividida coalizão de centro-direita de Berlusconi está sob forte pressão, num momento em que a situação da economia da Itália se agrava e os parceiros da união europeia exigem reformas para estancar a crise que agora ameaça a moeda única.

(Por James Mackenzie)

Mais conteúdo sobre:
ITALIA EMPRESARIO BERLUSCONI*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.