Líder rebelde da Ucrânia diz que aceita trocar reféns da OSCE

Os separatistas da cidade de Slaviansk, no leste da Ucrânia, estão dispostos a trocar um grupo de observadores internacionais da Organização para a Segurança e Cooperação na Europa (OSCE) que detiveram por colegas rebeldes sob custódia das autoridades ucranianas, disse seu líder neste sábado.

THOMAS GROVE, Reuters

26 Abril 2014 | 14h09

Indagado sobre uma troca de prisioneiros, Vyacheslav Ponomaryov, prefeito auto-proclamado de Slaviansk, declarou aos repórteres: "A junta de Kiev está com nossos companheiros e camaradas. Assim, se houver uma possibilidade, estamos prontos a uma troca".

"Eles (membros da missão de observadores) estão em bom estado. Um dos soldados sofre de diabetes, mas não é nada sério, está tomando comprimidos. Há remédios e comida", disse Ponomaryov.

"Estão sendo mantidos em boas condições. Não se está usando coerção física, porque eles estão trabalhando com nossa gente", disse, sem dar maiores informações.

"Eram soldados em nosso território sem nossa permissão, é claro que são prisioneiros", afirmou. "Não saberemos o que fazer até determinarmos quem são, que tipo de atividades, com que propósito vieram para cá."

Ele disse que o governo russo não fez contato com ele para discutir a libertação dos observadores.

Uma fonte do governo alemão disse que uma equipe de negociação da OSCE está a caminho para tentar obter a soltura dos prisioneiros.

Indagado se irá se encontrar com os negociadores, Ponomaryov disse: "Estou sempre em contato com representantes da OSCE. Se vierem até nós, iriam me alertar. Eles (as milícias separatistas) irão liberá-los em nossos postos de verificação. Estou sempre à disposição para me encontrar e conversar com eles."

Mais conteúdo sobre:
UCRANIA SEPARATISTAS TROCA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.