Líder rebelde do Timor Leste 'deve se entregar'

Gastão Salsinha estaria negociando entrega aos militares, diz mídia local.

Da BBC Brasil, BBC

26 de abril de 2008 | 09h00

Um ex-oficial militar rebelde do Timor Leste, supostamente envolvido no recente atentado contra o presidente José Ramos Horta, estaria negociando sua rendição, informou a mídia local.Há várias semanas a polícia vem cercando o esconderijo de Gastão Salsinha que, apesar de permanecer armado e não ter se entregado formalmente, estaria negociando com representantes militares, segundo informações da imprensa timorense.O presidente Ramos Horta, que ficou gravemente ferido no atentado, retornou ao Timor Leste na semana passada depois de tratamento médico na Austrália, onde chegou a passar duas semanas em coma induzido.As informações são de que as negociações para a rendição de Salsinha estariam ocorrendo em uma casa nos arredores da capital, Díli. Segundo a correspondente da BBC na Indonésia, Lucy Williamson, muitos se perguntam que tipo de processo judicial Salsinha deve enfrentar, se se entregar.PerdãoRamos Horta pediu ao líder rebelde e seus aliados que se rendam e há informações de que ele teria perdoado Salsinha por seu papel no atentado de fevereiro, afirma Williamson."Eu pedi a Salsinha que se renda, venha a Díli, deponha sua arma e se entregue à promotoria", disse o presidente na semana passada."Há apenas um lugar para ele falar, e é no tribunal... só um tribunal pode decidir se ele é culpado ou não."Acredita-se que Salsinha substituiu o líder rebelde Alfredo Reinado, que liderou o atentado, no comando dos soldados fugitivos.Os rebeldes estão foragidos desde 2006, quando a demissão de 600 soldados provocou uma onda de violência que causou a morte de dezenas de pessoas e obrigou mais de 150 mil pessoas a deixarem suas casas.Na época, cerca de 2.500 soldados estrangeiros foram chamados ao Timor Leste para restaurar a ordem. Desde o recente atentado, em Fevereiro, tropas timorenses e estrangeiras estão procurando os rebeldes.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.