Líderes decidem na 3a se adiam votação de veto sobre royalties

Uma reunião entre líderes da Câmara dos Deputados e do Senado, com a presença dos presidentes das duas Casas, definirá se será adiada a análise do veto do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva à distribuição de royalties do petróleo para Estados e municípios pelos critérios dos fundos de participação.

REUTERS

03 de outubro de 2011 | 17h19

De acordo com o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), eventual decisão sobre o adiamento da análise do veto, inicialmente marcado para quarta-feira, será tomada de forma colegiada no encontro com o presidente da Câmara, Marco Maia (PT-RS) e com líderes do Parlamento.

"A decisão não é pessoal minha. É uma decisão que envolve toda a Casa e que envolve todos os interesses dos prefeitos de todos os lugares do Brasil", disse Sarney a jornalistas. "De maneira que tenho que tomar (a decisão) colegiadamente."

O presidente do Senado havia marcado a votação do veto para o final de setembro. Depois, remarcou a análise do tema para a quarta-feira.

O governo federal e o governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral (PMDB), têm pressionado para que a análise do veto seja adiada.

Senadores pretendem ainda iniciar a votação de uma das propostas que tramita sobre o tema, mesmo que não haja acordo entre as partes envolvidas na discussão.

(Reportagem de Maria Carolina Marcello)

Mais conteúdo sobre:
POLITICACONGRESSOROYALTIES*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.