Limão de pequeno produtor vai para a Europa

Citricultores da região de Ribeirão Preto (SP) adequaram-se às normas para vender a fruta[br]no mercado externo

Luiz Gallo, O Estado de S.Paulo

07 de novembro de 2007 | 04h33

Pequenos produtores rurais, membros de três associações produtoras de limão taiti da região de Ribeirão Preto (SP), obtiveram a certificação de seus produtos pelas normas da União Européia, o selo Eurepgap. O certificado garante a rastreabilidade da produção do limão, item fundamental para a exportação para a Europa.Segundo o gestor do projeto de certificação Eurepgap da Associação Brasileira dos Produtores e Exportadores de Limão (Abpel), Noderli Pagani, o objetivo é certificar 200 pequenos produtores rurais. ''''Os 59 produtores certificados no último dia 31 eram os mais adiantados do projeto'''', diz. ''''A expectativa é a de que em 2008 mais 141 produtores consigam a mesma certificação.''''O projeto é fruto de uma parceria entre o Sebrae, que disponibiliza parte dos recursos, e a Abpel, que, além de disponibilizar recursos, é encarregada de auxiliar o pequeno produtor a se adequar as exigências necessárias para obter a certificação. ''''Nosso trabalho é acompanhar o produtor e facilitar a processo de certificação com um preço muito baixo'''', afirma Pagani.Segundo o gestor do projeto, a idéia é ajustar o produtor ao mercado de limão. ''''O mercado europeu é nossa prioridade, mas, num futuro bem próximo, apenas os produtores certificados terão espaço, tanto lá quanto no Brasil.''''Segundo dados do Instituto Brasileiro de Frutas (Ibraf), o Brasil exportou em 2006 51.439 toneladas de limão, totalizando US$ 32,91 milhões. De acordo com a Abpel, apesar de ser prioridade, o mercado externo absorve apenas 5% do total da produção brasileira de limão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.