Lixo, agora, seguirá para central de tratamento

Desde abril do ano passado, o lixo recolhido pela Comlurb vem sendo aos poucos levado para a Central de Tratamento de Resíduos (CTR) em Seropédica, também na região metropolitana do Rio. Segundo o prefeito Eduardo Paes, a prefeitura vai investir R$ 2 bilhões em tratamento de lixo nos próximos 15 anos.

O Estado de S.Paulo

04 de junho de 2012 | 03h07

A CTR receberá cerca de 9 mil toneladas de resíduos por dia. O lixo chegará lá após passar por sete estações de transferências, três delas já em funcionamento.

A estrutura é importante para o Rio avançar em reciclagem. A quantidade de lixo separada na cidade no ano passado (7,1 mil toneladas), é quase o que São Paulo reciclou só no bairro de Vila Mariana (6,7 mil toneladas).

Na CTR de Seropédica, o chorume será tratado e reaproveitado como água de reúso, e os gases serão transformados em energia. Na capacidade máxima, a CTR poderá gerar 30 megawatts, o suficiente para abastecer uma cidade de 200 mil habitantes, segundo a Comlurb.

O antigo Aterro de Gramacho também gerará energia. A área foi concedida para a empresa Nova Gramacho, que instalará uma usina de biogás para aproveitar o metano que segue emanando do local e será fornecido à Refinaria Duque de Caxias, da Petrobrás.

Assim, deixarão de ser emitidos cerca de 6 milhões de toneladas de CO2 equivalente. A usina venderá créditos de carbono e 18% dos recursos irão para a prefeitura de Duque de Caxias, para a revitalização do bairro de Jardim Gramacho. / V.N.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.