Lixo hospitalar é retido no porto de Itajaí (SC)

Material misturado com uniformes e lençóis de um hospital deverá ser devolvido para a Espanha

Carlos Kazuo Inoue - Especial Para o Estado de S. Paulo,

25 Maio 2012 | 20h26

FLORIANÓPOLIS - A auditora da Receita Federal em Itajaí, em Santa Catarina, Christiane Larcher informou nesta sexta-feira que a carga de 19 toneladas de lixo contaminado, contendo lençóis e uniformes de um hospital de Valência, na Espanha, será devolvida até o dia 13 de junho. A carga foi descoberta em um contêiner no porto, resultado do trabalho de inteligência desencadeado pela Operação Maré Vermelha, que começou em 19 de março. Foi a maior ação já realizada contra fraudes no comércio exterior.

Com o maior rigor na fiscalização, a Receita Federal solicitou a presença dos técnicos do Ibama, na semana passada, para verificar a carga suspeita, que deveria ter apenas "tecidos atoalhados de algodão", que seriam usados para fabricar pequenas toalhas de limpeza. Ao abrirem o material, técnicos encontraram lençóis e uniformes usados e sujos, além de outros materiais contaminados, que teriam sido descartados por redes hoteleiras e hospitais.

O material foi analisado pelo Ibama, que considerou a carga nociva ao meio ambiente e à saúde. Em setembro, a Receita Federal em Itajaí devolveu uma carga de seis contêineres com garrafas PET e há dois meses apreendeu 40 toneladas de lixo doméstico do Canadá.

Mais conteúdo sobre:
lixo hospitalar porto SC

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.