Lobão volta a atacar o Ibama

O ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, voltou ontem a criticar a área ambiental do governo, desta vez em tom mais duro. Um dia depois de anunciar que a obra da hidrelétrica de Belo Monte, no Rio Xingu (PA) vai atrasar um ano pela demora na liberação da licença ambiental, o ministro disse que o Ibama precisa atuar a serviço do interesse nacional. "Se as exigências do Ibama forem além das fronteiras do razoável, e não estou dizendo que estão indo nesse sentido, mas se forem, então não está servindo ao interesse nacional", afirmou Lobão, após participar de reunião do Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico (CMSE).

LEONARDO GOY, O Estadao de S.Paulo

18 Dezembro 2009 | 00h00

Lobão disse que vê constantemente críticas ao governo na imprensa, por estar "sujando" a matriz energética brasileira. Segundo ele, o que ocorre é que se não há licença para a construção de hidrelétricas, não há alternativa senão construir usinas térmicas, que são mais poluentes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.