Londres evita fraudes de R$ 1 mi com detector de mentiras

Esquema piloto foi testado em subprefeitura de Londres durante sete meses.

Da BBC Brasil, BBC

18 Fevereiro 2008 | 10h20

O governo da região administrativa de Harrow, no noroeste de Londres, economizou 336 mil libras (cerca de R$ 1 milhão) durante os primeiros meses de um projeto piloto que adotou um detector de mentiras para evitar fraudes no sistema de distribuição de benefícios sociais. De acordo com um relatório publicado nesta segunda-feira, cerca de 258 mil libras (R$ 975 mil) foram economizados em benefícios relacionados a moradia e o restante em imposto predial e territorial urbano. O relatório traz resultados do início do esquema, em maio, até novembro de 2007. Os dados indicam que apenas 5% das pessoas se recusaram a usar a tecnologia quando informadas pelos funcionários de que Harrow estava testando o esquema proposto pelo Ministério do Trabalho. O projeto testou 998 pessoas durante os sete primeiros meses. Destas, 119 - o equivalente a 12% - foram identificadas pela tecnologia como de "alto risco" de mentira. Do total, foram confirmados 43 casos em que o pagamento do benefício estava incorreto. O documento afirma ainda, que após o início dos testes, o governo recebeu várias ligações de pessoas dizendo que as circunstâncias haviam mudado e que elas não precisavam mais receber os benefícios. Esquema"Ainda precisamos rever os resultados quando o esquema completar um ano para ter certeza de que as economias estão diretamente relacionadas com o uso desta tecnologia, mas os dados parciais sugerem que o projeto piloto teve bastante sucesso", diz Paul Osborn, um dos diretores da subprefeitura de Harrow. O detector de mentiras registra mudanças no tom de voz dos beneficiários quando eles ligam para a prefeitura para solicitar benefícios sociais, como ajuda para moradia e seguro desemprego.Essas "mudanças" são então comparadas a uma amostra da voz "normal" do beneficiário, gravada no início da conversa, para evitar que timidez ou outras questões emocionais afetem a avaliação. O projeto piloto foi proposto pelo Ministério do Trabalho e está sendo testado em outras cidades, como Edimburgo, na Escócia, e Durham e Birmingham, na Inglaterra. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.