Londres sabia que Bagdá não poderia usar armas

O governo britânico soube dez dias antes da invasão do Iraque - em 20 de março de 2003 - que o regime de Saddam Hussein não tinha a capacidade de usar armas químicas e esse arsenal poderia ter sido desmantelado. A declaração foi feita ontem por William Ehrman, ex-funcionário do departamento de Assuntos de Defesa do Ministério de Relações Exteriores, no segundo dia de trabalhos da comissão independente que investiga a guerra no Iraque. "Recebemos um relatório dizendo que as armas químicas teriam sido desmanteladas e Saddam não havia ordenado sua montagem", disse Ehrman. "Também se sugeria que o Iraque não teria ogivas capazes de dispersar os agentes com eficácia", acrescentou." Ehrman defendeu a invasão com o argumento de que Saddam não cumpria as resoluções da ONU.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.