Lua pode ter 100 vezes mais água do que se pensava anteriormente

A teoria se baseia no exame de pedaços de rocha trazidos pela missão Apollo 17, em 1972

AFP, O Estado de S.Paulo

27 de maio de 2011 | 00h00

 

Quando se descobriu que havia água na Lua, há poucos anos, ainda se pensava que o satélite era bastante seco. Agora, cientistas das Universidades Case Western Reserve e Brown e do Instituto Carnegie para as Ciências (EUA) estimam que dentro da Lua pode haver cem vezes mais água que o imaginado. A teoria se baseia no exame de pedaços de rocha trazidos pela missão Apollo 17, em 1972, com um instrumento de precisão, a microssonda NanoSIMS 50L. "Essas amostras nos dão a melhor base para calcular a quantidade de água no interior da Lua", disse o geólogo James Van Orman, da Case Western.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.