Lucro da IMC recua 42% no 4o tri; empresa vê 2013 promissor

A International Meal Company (IMC) está confiante no crescimento de seus negócios em 2013, com o início de eventos de grande escala no Brasil, e dará continuidade ao programa de redução de despesas.

Reuters

13 de março de 2013 | 19h36

A empresa teve lucro líquido 42,1 menor no quarto trimestre, para 4,7 milhões de reais, resultado afetado pelo impacto de ajuste contábil.

Segundo o diretor de relações com investidores da companhia, Neil Amereno, o resultado foi afetado por uma regra do padrão contábil IFRS que determina que há benefício fiscal pelo uso de goodwill e de ágio de participação societária quando a companhia puder provar que cada uma das subsidiárias tem lucro suficiente para obtê-lo.

Assim, a IMC teve 13,5 milhões de reais contabilizados em impostos no período, sendo 3,2 milhões em taxas devidas e pagas. "Os outros 10,3 milhões foram para uma conta de ativo diferido no balanço", disse o executivo, adicionando que este valor será recuperado ao longo dos próximos trimestres.

Segundo o executivo, sem este impacto, o lucro teria sido de 15 milhões de reais.

No fechado do ano, o lucro foi de 17,9 milhões de reais, 852,3 por cento superior aos 1,9 milhão de reais um ano antes.

Segundo ele, a companhia dará, em 2013, continuidade ao programa de redução de despesas iniciado no segundo trimestre de 2012, que já mostrou algum resultado no ano passado.

No quarto trimestre, as despesas gerais e administrativas representaram 19,9 por cento da receita, ante 20,6 por cento um ano antes. Mas as despesas operacionais totais ainda tiveram um aumento passando a representar 22 por cento da receita em relação aos 18 por cento na comparação anual.

A dona de marcas como Viena e Frango Assado já havia anunciado, em janeiro, um crescimento de 29,7 por cento na receita líquida nos últimos três meses de 2012 na comparação anual, a 326,2 milhões de reais.

No período, as vendas no conceito "mesmas lojas" --abertas há mais de um ano-- atingiram 278,4 milhões de reais entre outubro e dezembro, alta de 13,8 por cento ante 2011.

"O ano em termos de vendas foi um pouco mais forte do que prevíamos inicialmente. A gente este ano vai ter a Copa das Confederações, e a companhia busca soluções novas e tem melhorado as suas lojas no dia a dia", afirmou.

Para este ano, a empresa já tem preparadas cerca de 20 lojas para serem abertas em aeroportos.

"Estamos finalizando a quantidade de lojas que vamos ter. Nós já possuímos um bom número de lojas que serão abertas em aeroportos. Já temos aproximadamente 20 lojas", disse Amereno. No entanto, a empresa também busca formas de crescimento nas rodovias e shoppings centers, onde também já atua.

A companhia encerrou 2012 com 350 lojas, 74 a mais do que no ano anterior.

Em 2012, a IMC adquiriu as redes de restaurantes Batata Inglesa, Go Fresh, Wrap's, além da inauguração da primeira loja Carl's Jr., no aeroporto internacional de Guarulhos, em São Paulo e da compra da colombiana J&C Delicias.

A empresa encerrou o trimestre com Ebitda (lucro antes dos juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado de 51,7 milhões de reais, alta de 3,8 por cento ante 2011. No ano, o aumento foi de 10 por cento, a 154 milhões de reais.

(Por Juliana Schincariol; Edição de Sérgio Spagnuolo)

Tudo o que sabemos sobre:
CONSUMOIMCRESULTS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.