Lucro da TIM quadruplica no 1o tri, para R$213 milhões

A TIM Participações informou na segunda-feira que encerrou o primeiro trimestre com lucro líquido de 213 milhões de reais, montante quase quatro vezes maior que os 55 milhões de reais registrados em igual intervalo de 2010.

REUTERS

02 Maio 2011 | 21h13

A companhia atribuiu o resultado à combinação de melhor resultado operacional, redução de amortizações e melhores resultados financeiros.

O Ebitda (sigla em inglês para lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) totalizou 1,033 bilhão de reais, alta de 9 por cento sobre o mesmo período do ano passado. A margem no trimestre caiu de 28,7 para 27,5 por cento.

A TIM encerrou o trimestre com um aumento de 24,7 por cento na base de assinantes em relação a um ano antes, totalizando 52,8 milhões de linhas. Nos três primeiros meses do ano, a empresa contabilizou a entrada líquida de 1,8 milhão de linhas, crescimento de 45 por cento ano a ano.

De janeiro a março, a base de clientes pós-pago somou 7,7 milhões de linhas, expansão de 16 por cento sobre um ano antes, enquanto a base de pré-pago teve incremento de 26 por cento, para 45,147 milhões de linhas.

Com isso, a TIM fechou o primeiro trimestre com receita líquida de 3,8 bilhões de reais, alta anual de 13,8 por cento.

Já a receita de dados atingiu 640 milhões de reais no período, 32,3 por cento maior contra o ano anterior, respondendo por 14 por cento das receitas de serviços móveis da empresa.

Nos três meses até março, a companhia realizou investimentos da ordem de 297 milhões de reais, volume 57 por cento menor se comparado ao mesmo período do ano passado.

"A redução é principalmente determinada pela renegociação de contratos principalmente envolvendo o fornecimento de infraestrutura de rede", afirmou a TIM no balanço.

A empresa manteve a estimativa de realizar aportes de cerca de 2,9 bilhões de reais ao longo de 2011.

(Por Vivian Pereira)

Mais conteúdo sobre:
TELECOM TIM RESULTS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.