Lucro de Intel com monopólio foi de US$ 60 bilhões, diz estudo

Cifra é relativa ao lucro da Intel desde 1996; estudo fala de prejuízos para consumidores e fabricantes de PCs

03 Agosto 2007 | 17h44

A fonte é interessada. Mas a informação é interessante. O departamento de comunicação da AMD, principal rival da gigante Intel no mercado de processadores está divulgando um estudo econômico feito pelo Dr. Michael A. Williams, diretor da ERS Group, que concluiu que a Intel obteve lucros com o monopólio de vendas de microprocessadores de mais de US$ 60 bilhões no período de 1996-2006.   A análise do Dr. Williams expõe a razão pela qual as justificativas pró-competitivas para os lucros com o monopólio da Intel não são plausíveis. Williams também concluiu que os consumidores e os fabricantes de computadores poderiam ganhar mais de US$ 80 bilhões na última década se o mercado de microprocessadores estivesse aberto à competição.   A análise observou que os consumidores economizariam pelo menos US$ 61 bilhões no período, com os fabricantes de computadores economizando outros US$ 20 bilhões, permitindo-lhes aumentar seu investimento em P&D (Pesquisa e Desenvolvimento), criar produtos melhores e de maior variedade; e fornecer benefícios adicionais de inovação para os compradores de computadores ao redor do mundo. A ERS Group é uma empresa de consultoria econômica e financeira mantida pela empresa de consultoria externa da AMD, O'Melveny & Myers LLP.   "A Intel obteve US$ 60 bilhões em lucros com o monopólio na última década; na próxima década os consumidores e fabricantes de computadores economizarão mais de US$ 80 bilhões com um mercado totalmente competitivo", afirmou Williams. Para chegar a estas conclusões, o estudo se baseou nas seguintes informações:   - O lucro econômico da Intel (US$ 88 bilhões) foi calculado primeiramente determinando o lucro total (US$ 142 bilhões) e subtraindo desse valor o seu custo de capital (US$ 54 bilhões - que inclui um lucro normal), resultando em um lucro econômico de US$ 88 bilhões.   - A margem de lucro econômico da Intel de 16% (os US$ 88 bilhões) representa um contraste total com os retornos econômicos de 498 outras companhias de capital público examinadas. Como a Intel, elas tiveram capital de US$ 1 bilhão ou mais em 1996. Nessas companhias, o retorno econômico médio foi de menos de 1%. A Intel obteve um retorno econômico superior a 99% dos dessas grandes companhias, incluindo companhias com fortes marcas, pesquisa e desenvolvimento, ou direitos de propriedade intelectual, como Pfizer, Wyeth, ExxonMobil Corp. e Target.   - Somente quatro companhias tiveram retornos econômicos de 16% ou mais - Microsoft (38,25%), UST Inc. (28,54%), Coca-Cola Co. (16,58%) e Intel (16,01%) - e cada uma dessas companhias esteve associada com determinações antitruste. Naturalmente, altos retornos econômicos em si não demonstram conduta anticompetitiva.   - Para ser conservador, o estudo a seguir estabeleceu para a Intel uma hipótese generosa de que 5 pontos percentuais (US$ 28 bilhões) de seu retorno econômico foram atribuíveis a vantagens legítimas. Isso teve como resultado o valor do lucro com o monopólio de US$ 60 bilhões.

Mais conteúdo sobre:
Semicondutores Intel AMD

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.