Lucro do Banco do Brasil cresce 37% no 3o trimestre

O Banco do Brasil teve uma alta de 37 por cento no lucro líquido do terceiro trimestre em relação ao mesmo período do ano passado, para 1,867 bilhão de reais, impulsionado por salto na carteira de crédito. No terceiro trimestre de 2007, a instituição financeira teve um lucro de 1,364 bilhão de reais. A carteira de crédito total do banco --incluindo as carteiras interna e externa e prestação de garantias-- atingiu 214,5 bilhões de reais. Pelo conceito fixado pelo Conselho Monetário Nacional (CMN), a carteira ficou em 202,2 bilhões de reais, um aumento de 34,6 por cento em relação ao fechamento de setembro do ano passado, quando a carteira estava em 150,18 bilhões de reais. Um dos destaques do avanço da carteira do BB foi o segmento de veículos. O financiamento para automóveis disparou 151,7 por cento, para 5,6 bilhões de reais. A tendência deve continuar nos próximos meses, diante do crédito de 4 bilhões de reais que o banco ofereceu ao setor automotivo para combater a crise financeira que fez as vendas de veículos em outubro recuarem 11 por cento contra setembro. No total, o crédito à pessoa física subiu 45,4 por cento, para 42,88 bilhões de reais. No segmento de pessoa jurídica, o crédito cresceu 42,7 por cento entre o terceiro trimestre deste ano e o mesmo período de 2007, para 85,16 bilhões de reais. A carteira do agronegócio avançou 25 por cento, a 60,52 bilhões de reais. PROVISÕES Ao mesmo tempo em que o BB conseguiu aumentar sua carteira de crédito, as provisões também avançaram no trimestre. De acordo com o balanço do banco, essas provisões subiram cerca de 11 por cento no terceiro trimestre, para 1,367 bilhão de reais. O banco fechou os três meses encerrados em setembro com ativos totais de 444,702 bilhões de reais, crescimento de 26,5 por cento em relação ao terceiro trimestre de 2007. Depósitos cresceram 33,6 por cento, para 230,05 bilhões de reais. As captações no mercado aberto, que apesar de terem crescido 14,4 por cento na comparação com setembro do ano passado, recuaram 8,3 por cento em relação ao nível de junho deste ano. O índice de retorno sobre patrimônio líquido médio (ROE), importante na medição da rentabilidade de um banco, ficou em 30,5 por cento no trimestre passado, uma melhora sobre os 26,3 por cento verificados no mesmo período do ano passado. Enquanto isso, o resultado bruto da intermediação financeira somou 3,579 bilhões de reais, queda ante os 3,85 bilhões de reais do terceiro trimestre de 2007. O banco informou ainda que até setembro já havia negociado 1,5 bilhão de reais em carteiras de crédito consignado de outros bancos. (Reportagem de Alberto Alerigi Jr.; edição de Renato Andrade)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.