Lula: adesão da Venezuela ao Mercosul será aprovada em 10 dias

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou nesta sexta-feira que o ingresso da Venezuela no Mercosul deverá ser confirmado pelo Brasil em cerca de 10 dias.

REUTERS

30 Outubro 2009 | 17h00

Apesar das resistências de parte da oposição, a Comissão de Relações Exteriores do Senado aprovou na quinta-feira, com folga, a adesão do país vizinho ao bloco. Falta agora o projeto receber o crivo do plenário da Casa.

"Penso que daqui uma semana ou daqui 10 dias nós teremos definidos esse processo e a Venezuela será cada vez mais Mercosul", afirmou Lula durante discurso em cerimônia sobre o apoio da Embrapa para o plantio de soja na Venezuela.

Lula ironizou a oposição, que convidou o prefeito de Caracas, Antonio Ledezma, opositor do presidente Hugo Chávez, para uma audiência pública para falar do assunto.

O prefeito disse ser a favor da entrada do país no bloco se essa adesão for condicionada a garantias de que o governo venezuelano respeitará a democracia.

"Ele chegou ao Brasil e prestou um belo depoimento defendendo a entrada da Venezuela no Mercosul. Isso foi extremamente importante", comentou o presidente.

"Aqueles que queriam utilizar o prefeito como pretexto... ou seja, não deu certo."

Já o presidente venezuelano, Hugo Chávez, destacou o esforço de Lula para a integração da região.

"Somos uma só pátria, a pátria sul-americana. Estamos criando essa consciência e criando essa nova pátria", declarou.

A aprovação da matéria pelo Congresso brasileiro demorou a ocorrer devido à polêmica gerada pelos comentários de Chávez de que o Senado brasileiro seguia os interesses dos Estados Unidos. Dos países do Mercosul, falta ainda o Congresso do Paraguai aprovar a entrada da Venezuela no bloco.

Mais conteúdo sobre:
POLITICA LULA VENEZUELA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.