Lula afasta recessão e prevê crescimento econômico de 4% em 2009

Contrariando a previsão do Banco Central divulgada nesta segunda-feira, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou que em 2009 o país terá crescimento econômico de 4 por cento. Ele previu que o país não sofrerá recessão apesar da crise financeira global e dará prosseguimento a projetos governamentais. "Apesar de gente dizer que o Brasil vai crescer 2,8 por cento ou 3 por cento, eu quero que os empresários saibam que no governo e na equipe econômica nós iremos trabalhar com a perspectiva de 4 por cento", disse Lula em discurso divulgado pela Presidência. Antes da declaração do presidente Lula, o Banco Central divulgou relatório em que previu alta do Produto Interno Bruto (PIB) de 3,2 por cento no ano que vem. "Não vamos entrar em recessão. O país continuará crescendo. Certamente não crescerá 6 ou 7 por cento como eu gostaria, mas poderá crescer 4 por cento e vamos trabalhar com isso", afirmou. Ele voltou a garantir que planos como o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) não serão interrompidos. "Não haverá um só projeto do governo que seja paralisado por conta dessa crise. A gente enfrenta crise é lutando contra ela, criando novos paradigmas. Se a gente tentar resolver a crise com o mesmo paradigma monetário que a criou, nós não teremos solução de curto prazo", afirmou. Como na semana passada, Lula afirmou que o governo poderá tomar novas medidas para combater os efeitos da crise. As declarações foram feitas em discurso na presença do presidente da França, Nicolas Sarkozy, e da Comissão Européia, o português José Manuel Durão Barroso. Todos participaram de seminário com a presença de empresários europeus e brasileiros no hotel Copacabana Palace, no Rio de Janeiro. Sarkozy defendeu no mesmo evento que o Brasil tenha assento permanente no Conselho de Segurança das Nações Unidas (ONU), demanda constante do governo brasileiro. "Precisamos do presidente Lula como membro permanente do Conselho de Segurança", disse. Como presidente da União Européia, Sarkozy realiza com Lula e Barroso a 2a Cúpula Brasil-União Européia nesta segunda-feira. Na terça-feira, Lula e Sarkozy terão encontro de cúpula quando deve ser assinada a compra pelo Brasil de cerca de 50 helicópteros de grande porte para transporte e deslocamento de tropas e um acordo para fabricação no Brasil, com tecnologia mista, de quatro submarinos convencionais e um submarino nuclear. Sarkozy chegou ao Rio nesta segunda-feira acompanhado da primeira-dama Carla Bruni. (Texto de Carmen Munari)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.