Lula chama de equívoco decisão da ONU de impor sanções ao Irã

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva criticou nesta quarta-feira a decisão do Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas de impor uma nova rodada de sanções ao Irã. Lula aproveitou para cobrar uma mudança na composição do conselho e disse que a medida foi "um equívoco".

REUTERS

09 de junho de 2010 | 16h58

"Lamentavelmente desta vez quem queria negociar era o Irã e quem não queria negociar eram aqueles que acham que a força resolve tudo. Acho que foi um equívoco a tomada de decisão", disse Lula em discurso em Natal.

Nesta quarta-feira, o Conselho de Segurança da ONU aprovou uma quarta rodada de sanções contra o Irã por conta de seu programa nuclear, que o Ocidente suspeita ter objetivo de desenvolver armas atômicas.

Foram 12 votos a favor da resolução. O Líbano se absteve, enquanto Turquia e Brasil votaram contra --os dois países negociaram um acordo em maio com o Irã que pretendia evitar as sanções.

"Acho que o Conselho de Segurança jogou fora uma oportunidade histórica de negociar tranquilamente o programa nuclear iraniano", completou.

"É um episódio que enfraquece o Conselho de Segurança. Nós estamos tentando reformá-lo há mais de 17 anos", afirmou Lula, para quem as sanções significam uma "vitória de pirro".

Tudo o que sabemos sobre:
IRALULAONU*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.