Lula dá respaldo a Evo Morales com viagem a Bolívia, diz jornal

Segundo diário argentino, visita serviu como 'um gesto em direção ao presidente boliviano'.

BBC Brasil, BBC

17 de dezembro de 2007 | 07h30

Com sua visita à Bolívia neste domingo, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva deu seu respaldo ao presidente boliviano, Evo Morales, em seu enfrentamento com a oposição, segundo afirma reportagem publicada nesta segunda-feira pelo diário argentino Clarín."Algo ficou claro ontem para quem ainda conserva alguma racionalidade política dentro das correntes secessionistas e direitistas bolivianas", comenta o jornal, observando que, "em meio às turbulências da última semana", Lula desembarcou em La Paz com uma advertência "de maneira enérgica aos riscos de uma aventura que tente quebrar as instituições democráticas da Bolívia".Segundo o jornal, a atitude da presidente do Chile, Michele Bachelet, que também chegou no domingo a La Paz, "foi no mesmo sentido".Lula e Bachelet assinaram com Evo Morales um acordo para a construção de uma estrada para ligar o porto de Santos aos de Arica e Iquique, no Chile, atravessando a Bolívia.Nos últimos dias, vem crescendo a tensão entre o governo boliviano e a oposição, com a declaração de autonomia por províncias lideradas por oposicionistas, como Santa Cruz.A reportagem do Clarín diz que "na semana passada houve um momento de indefinição no Palácio do Planalto quando se chegou a avaliar se era conveniente que Lula viajasse a La Paz em um momento de tanta fragilidade política", observando que o governo de Morales acaba de aprovar uma nova Constituição, mas enfrenta ameaças de opositores que buscam autonomia para as regiões mais ricas do país.O jornal comenta então que Lula não permitiu que a data de sua viagem fosse mudada. "O chefe de Estado brasileiro avaliou que seu respaldo era essencial neste momento de fragilidade política na Bolívia", diz o Clarín.Outro jornal argentino, o Página/12, também traz reportagem na mesma linha, dizendo que "enquanto a oposição busca dividir a Bolívia, os países limítrofes apostam no altiplano como ponte comercial entre o sul amazônico e o andino"."Num momento em que a Bolívia atravessa uma crise entre o governo e quatro regiões autonomistas, os mandatários vizinhos se fizeram presentes", diz o jornal.Já o diário La Nación destaca a oferta de diálogo feita no domingo por Evo Morales à oposição boliviana, comentando que o apoio de Lula e Bachelet pode tê-lo influenciado."Tonificado por ter recebido em La Paz, a uns 3.600 metros de altura, o presidente brasileiro e, sobretudo, a presidente chilena, em uma visita simbólica, dado o enfrentamento histórico de Bolívia e Chile pela saída ao mar, Morales escreveu um novo capítulo dessa história de duas cidades e enviou às terras baixas (Santa Cruz) uma mensagem de distensão", diz a reportagem.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.