Lula defende gratificação a quem preserva o ambiente em reservas

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou nesta quinta-feira que seu governo precisa definir o destino que será dado às reservas ambientais para garantir que as pessoas que vivem nesses locais ganhem dinheiro por protegerem o meio ambiente.

REUTERS

17 de junho de 2010 | 13h50

Segundo ele, a iniciativa evitaria o desmatamento dessas reservas. Lula pediu que os ministérios do Desenvolvimento Agrário, Meio Ambiente e Agricultura discutam o assunto.

"É transformar as reservas numa fonte não apenas de preservação, mas numa fonte de ganha pão para quem toma conta dessa reserva", afirmou o presidente em discurso durante a 7a Feira Nacional da Agricultura Familiar e Reforma Agrária onde participou do lançamento do Plano Safra da Agricultura Familiar.

"Por exemplo: ao criar uma reserva, ao invés de a gente tirar as pessoas que moram lá, é pagar um salário para essas pessoas tomarem conta da reserva e serem os guardas das florestas."

Lula disse ainda que continuará andando pelo país e conversando com a população quando seu mandato acabar.

"Quem pensa que vai se livrar de mim porque eu vou deixar a Presidência vai cair do cavalo... vou continuar tomando café na casa de vocês e, se for na hora do almoço, uma caninha produzida por vocês", alertou, arrancando aplausos da plateia.

O Plano Safra da Agricultura Familiar 2010/2011 contará com 16 bilhões de reais em crédito para custeio da produção, investimentos e comercialização, contra os 13 bilhões de reais estimados para o plano 2009/2010.

(Reportagem de Fernando Exman)

Tudo o que sabemos sobre:
POLITICALULAAMBIENTE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.