Lula: países devem assumir responsabilidade pelo clima

Em discurso feito na cerimônia de abertura da Cúpula Brasil - Comunidade do Caribe (Caricom), no Palácio do Itamaraty, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva voltou a cobrar responsabilidades de todos os países na redução dos gases causadores do efeito estufa, alertando que "o Brasil continuará a dar exemplo com iniciativas ambiciosas para reduzir substancialmente suas emissões". "O crescimento robusto do mundo em desenvolvimento requer que todos os países assumam suas responsabilidades."

ROSANA DE CASSIA, Agência Estado

26 de abril de 2010 | 13h24

No discurso, o presidente brasileiro destacou ainda a forte vocação democrática que une os nações do grupo, lembrando que assim como o Brasil três outros países da região terão eleições este ano: Haiti, Suriname e Trinidad e Tobago.

Lula defendeu a importância do fortalecimento das alianças entre os países da região "em favor de uma ordem internacional mais justa" e disse que o processo de integração faz parte de um movimento que está reescrevendo a história da América Latina e do Caribe. Ele lembrou que, "na Bahia, em 2008, pela primeira vez em 200 anos, as nações latino-americanas e caribenhas reuniram-se com agenda própria" e "sem tutelas externas".

Pela manhã, Lula participou de reunião bilateral com o primeiro-ministro da Jamaica, Bruce Golding, e depois com o primeiro-ministro de Antígua e Barbuda, Winston Spencer. O presidente brasileiro e mais dez representantes dos países do Caribe passarão o dia de hoje no Itamaraty. Pouco antes do almoço, os presidentes da Caricom iniciaram uma reunião a portas fechadas. No final da tarde, Lula vai receber, separadamente, o presidente do Haiti, René Préval.

Protesto

No momento da foto oficial do evento, funcionários do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e do Ministério do Meio Ambiente realizaram uma manifestação em frente ao Palácio do Itamaraty, onde está sendo realizado o encontro da cúpula.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.