Lula promete respeitar gastos apesar de ano eleitoral

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva prometeu, diante de uma platéia de empresários, sindicalistas e ministros, que o governo vai respeitar a política fiscal em 2010, mesmo sendo ano eleitoral.

REUTERS

09 Dezembro 2009 | 15h04

"Não é porque tem eleição que vamos gastar mais no ano que vem", disse Lula, em discurso nesta quarta-feira, na última reunião do ano do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social.

Apesar de afirmar que manterá o controle de gastos, ele defendeu que o governo deve manter o ritmo de trabalho acelerado e as medidas de aquecimento da economia.

Lula previu fechar este ano com mais de 1,3 milhão de empregos, "com viés de alta para 2010".

Ao mesmo tempo, o presidente afirmou que quer evitar o clima de festa sobre o desempenho positivo da economia. Comparou com o futebol, em que se deve evitar que um jogador vença um jogo, vá para a festa e perca o jogo seguinte.

(Reportagem de Fernando Exman)

Mais conteúdo sobre:
POLITICA LULA CONSELHAO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.