Lula quer que cúpula do G-20 retome negociações de Doha

Para presidente, abertura maior do comércio mundial é uma das soluções para a crise financeira mundial

REUTERS

12 Novembro 2008 | 17h52

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva deseja que os líderes das 20 maiores economias do mundo que vão se reunir em Washington no fim de semana reiniciem as negociações sobre o acordo de comércio global, disse o porta-voz da Presidência, nesta quarta-feira. Os líderes do G20, grupo formado por países industrializados e emergentes, vão se reunir no sábado na capital dos Estados Unidos para discutir o sistema financeiro mundial e possíveis medidas para combater a atual crise econômica. "O presidente considera que a maior abertura do comércio mundial é uma das melhores medidas anticíclicas que poderemos tomar, e pode ser uma ferramenta poderosa no combate à crise", disse o porta-voz Marcelo Baumbach. Lula acredita ser importante que o encontro em Washington dê um novo impulso às negociações de Doha, acrescentou Baumbach em Brasília. Membros-chave da Organização Mundial do Comércio chegaram perto de um acordo para o comércio global em julho, em Genebra, mas fracassaram devido a desentendimentos entre os Estados Unidos, a Índia e a China sobre o mecanismo para proteger os países em desenvolvimento. As negociações avançaram pouco desde então. A rodada de Doha, que foi lançada sete anos atrás, tinha como meta inicial estar definida em janeiro de 2005. Lula viajará para Washington na quinta-feira à noite, após encontrar-se com o papa Bento 16 no último dia de uma visita de quatro dias à Itália. Como importante exportador de produtos agrícolas, o Brasil desempenhou papel chave na rodada de Doha, tentando obter uma posição comum com outras nações em desenvolvimento. (Reportagem de Raymond Colitt)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.