Lula sanciona lei que reorganiza ensino tecnológico

A meta é assegurar que pelo menos 50% dos alunos da rede tenham ensino médio integrado ao profissionalizante

Leonencio Nossa, de O Estado de S. Paulo,

29 Dezembro 2008 | 21h25

Num dos últimos atos do governo neste ano, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva sancionou nesta segunda-feira, 29, a lei que muda a organização do ensino tecnológico brasileiro. A partir de agora, as escolas técnicas e agropecuárias e os centros federais de educação tecnológica serão agrupados em 38 novos institutos federais de educação, ciência e tecnológicos. A meta é assegurar que pelo menos 50% dos alunos da rede tenham ensino médio integrado ao profissionalizante. O governo pretende também direcionar os cursos superiores para formação de professores de física, química, matemática e biologia. A nova rede nasce com 168 campus e 215 mil vagas. Com a construção de novas escolas, o governo prevê que os institutos atenderão 500 mil estudantes até o fim da gestão Lula, em dezembro de 2010. Os institutos terão autonomia para mudar e criar cursos. O Ministério da Educação não informou o total de novos cargos que serão criados nem deu detalhes de como será a administração dos novos institutos. As 22 instituições federais de ensino tecnológico que funcionam hoje no Estado de São Paulo foram agrupadas no novo Instituto Federal de São Paulo. Estão nesta lista, por exemplo, escolas profissionalizantes de Cubatão, Sertãozinho, Salto, Bragança Paulista, Barretos, Guarulhos, Caraguatatuba, Campos de Jordão, São Roque e Piracicaba.

Mais conteúdo sobre:
educação Lula ensino tecnológico

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.