Lula: União quer agricultor da Amazônia como 'parceiro'

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse que o governo quer tratar os agricultores da Amazônia como "parceiros" para que se tire "proveito" da conservação da floresta. De São Bernardo do Campo, no Grande ABC paulista, onde gravou o programa semanal de rádio "Café com o Presidente" que foi ao ar hoje, Lula afirmou que quer firmar uma "lógica de procedimentos" entre a administração federal, governos dos Estados, prefeituras e produtores da região. "Porque ela (a Floresta Amazônica) é uma vantagem comparativa extraordinária para os produtos brasileiros."

AE, Agencia Estado

22 Junho 2009 | 09h37

De acordo com ele, os pequenos produtores que reflorestarem a propriedade serão auxiliados pelo Poder Executivo com R$ 100 por mês. "Nós vamos fazer política de incentivo para que as pessoas possam cuidar, adequadamente, da sua terra, produzindo sem desmatar desnecessariamente", disse.

Lula reafirmou ainda que quer trabalhar com os governadores da Região Norte e os prefeitos de 43 cidades onde há o maior porcentual de desflorestamento numa relação que reúna produção agrícola, uso adequado da mata para produzir madeira e preservação. "Ou seja, tanto aquela que não desmata quanto aquela que refloresta, nós vamos ter de pagar para que essas pessoas possam produzir, tranquilamente."

Essas propostas estão dentro da operação Mutirão Arco Verde - Terra Legal. "Para que não ficasse a ideia de que nós queríamos apenas proibir e castigar pessoas ou punir pessoas, nós lançamos o programa", justificou o presidente.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.