Luta contra 2.ª Divisão garante emoções

Hoje, Santo André, Fluminense e Vitória batalham contra a degola

, O Estadao de S.Paulo

22 de novembro de 2009 | 00h00

Além da briga pelo título, que envolve cinco times de forma direta, e da disputa pelo G-4, que corresponde a uma vaga na cobiçada Taça Libertadores de 2010, as três rodadas finais do Campeonato Brasileiro prometem muita emoção na parte debaixo da tabela. Hoje, pelo menos quatro jogos são decisivos.

O Sport, campeão da Copa do Brasil do ano passado e destaque da primeira fase da Libertadores deste ano - conseguindo sair em primeiro lugar do chamado grupo da morte -, viu seu "momento Cinderela" chegar ao final. O rebaixamento se consolidou na rodada passada, ao empatar com o Palmeiras no Palestra Itália, em jogo marcado pelo gol irregular de Danilo, depois de árbitro ter apitado e os jogadores do Sport pararem no lance.

Hoje, é a vez de Santo André, Fluminense, Botafogo, Coritiba e até Vitória e Santos tentarem exorcizar o fantasma.

No Recife, embalado pelos últimos resultados - 7 vitórias consecutivas - e pelos gols de Fred - 10 nos últimos 11 jogos -, o Fluminense encara o já rebaixado Sport na Ilha do Retiro, no Recife. Para se safar, mais três vitórias são necessárias. O problema é que o técnico Cuca tem desfalques. Além de Diguinho, suspenso, Digão e Maicon, machucados - provavelmente pelo restante da temporada - não jogam. Resultado da maratona entre Brasileiro e Copa Sul-Americana.

"Não adianta ficar invicto por 12 jogos e entregar no fim", alerta o atacante Alan, que volta ao time com a lesão de Maicon.

Sem Digão, que fraturou o pé, as opções são Cássio e o recuo do volante Diogo. Uma alternativa seria a mudança para o 4-4-2, mas Cuca não quer desestruturar o esquema que encaixou tão bem. "Estamos subindo degrau a degrau com uma pressão enorme. Com o risco de perder um e cair lá para baixo. Estamos no limite todo jogo e vai ser assim mais uma vez contra o Sport", disse.

No ABC, o Santo André tenta ainda juntar forças para se manter na elite. A diretoria prometeu um prêmio extra para seus jogadores, que vão enfrentar o Avaí, às 17 horas, no Estádio Bruno José Daniel.

Curiosamente ambos subiram ano passado da Série B. Agora o Santo André soma 35 pontos e ocupa a 18.ª posição. Já o surpreendente Avaí, com 53 pontos, ostenta a 7ª posição. Se perder, e dependendo de outros resultados, o time paulista estará rebaixado. Depois deste compromisso, o Santo André recebe o Náutico e pega o Internacional, em Porto Alegre.

Para motivar os atletas, a intenção da diretoria é repassar um valor oferecido pelo Clube dos 13. O técnico Sérgio Soares não poderá contar com o atacante Renato Dias, expulso, e com o lateral-esquerdo Ávine, lesionado.

Em Salvador, o técnico do Vitória, Vagner Mancini, segue com uma dúvida para enfrentar o Barueri, às 19h30, no Barradão, tentando afastar a má fase que vem fazendo o time perder posições seguidamente.

No meio-campo, a dúvida recai sobre Magal e Willian. O Vitória pode escapar até sem somar nenhum ponto, desde que os outros concorrentes tropecem.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.