Mackenzie diz que não se responsabiliza por protesto

Em nota, a Universidade Presbiteriana Mackenzie informa que não se responsabiliza por atos estudantis ocorridos na manhã desta quarta-feira, no centro de São Paulo, e que não vai alterar os critérios de avaliação do processo seletivo. Uma manifestação estudantil bloqueou a Rua da Consolação, na região central da capital, durante três horas. Os estudantes da Universidade Mackenzie protestaram contra o uso da nota do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) no processo seletivo da universidade.

GHEISA LESSA, Agência Estado

21 Março 2012 | 15h29

De acordo com a assessoria de imprensa do Mackenzie, a medida segue o princípio da universalidade e, como o Enem é considerado um processo democrático e inclusivo, a universidade seguirá o exemplo de outras instituições incluindo essa iniciativa em sua seleção.

Mais conteúdo sobre:
educaçãoprotestoMackenzie

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.