Mãe de cinco que sumiu sem deixar rastro reaparece nos EUA

Sem razão aparente, Wazinah Suleiman disse que ia alugar DVD e deixou sozinhos os filhos de 6 a 12 anos.

BBC Brasil, BBC

15 de abril de 2011 | 06h57

Uma mãe de cinco filhos que desapareceu nos Estados Unidos depois de sair para alugar um DVD reapareceu "com vida" e "bem", segundo o xerife que investiga o caso.

Wazinah Suleiman, de 30 anos, desapareceu depois que saiu de casa dizendo que iria alugar um DVD no supermercado Walmart de Cartersville, no condado de Bartow, Geórgia, na sexta-feira.

Segundo o xerife Clark Millsap, Wazinah pediu que não fosse divulgado o local em que ela se encontra.

"A razão por que ela desapareceu é problema dela, não nosso", disse o xerife, de acordo com as redes de TV CNN e Fox News.

"Nossa maior preocupação era assegurar que ela estivesse em local seguro, e descobrimos isso."

De acordo com a rede ABC, Wazinah não quer ter o paradeiro revelado nem mesmo ao marido, Abed, por temer a reação dele.

O xerife disse que a polícia não indiciará ninguém no caso.

Sem explicação

O desaparecimento de Wazinah foi comunicado à polícia pelo marido, que havia cancelado uma viagem no meio do itinerário e voltado para casa.

Wazinah, que trabalhava como assistente em uma creche, havia deixado sozinhas as crianças de 6, 7, 10, 11 e 12 anos do casal.

Em sua versão contada à polícia e à imprensa, Abed disse que tentou ligar para o telefone celular dela algumas vezes, mas ninguém atendeu.

Em vez disso, segundo a CNN e o diário local "Atlanta Journal-Constitution", ele recebeu de volta mensagens de texto "grosseiras" enviadas do telefone da mulher.

Uma delas dizia: "Está tudo acabado. Vou jogar meu telefone celular pela janela".

Na terça-feira, o carro de Wazinah foi encontrada em um estacionamento às margens de uma rodovia do condado vizinho de Cherokee.

Ao saber do reaparecimento da esposa, Abed se disse aliviado, informou a Fox.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.