Mãe e filha são assassinadas em Carazinho-RS

Dois assassinatos, de uma mulher de 48 anos e de sua filha de 19 anos, o incêndio de uma casa e o desaparecimento temporário de uma criança de dois anos, ocorridos em série na madrugada desta quarta-feira, chocaram os moradores do bairro Alegre, em Carazinho (RS). As primeiras investigações policiais apontam para um mesmo suspeito para todos os crimes. Ele seria um homem de 24 anos, ex-companheiro da jovem e pai do menino, e passou a ser procurado pela polícia, que tenta cumprir mandado de prisão preventiva emitido pela Justiça.

ELDER OGLIARI, Agência Estado

25 de julho de 2012 | 19h29

A primeira ocorrência atendida pelos policiais acabou sendo uma pista para as demais. Em meio ao incêndio da casa da família, vizinhos retiraram Lúcia Feldmann, de 48 anos, com marcas de diversas facadas e um corte profundo na garganta, que a levou à morte. Um filho dela, de seis anos, foi socorrido sem ferimentos. Um neto, de dois, estava desaparecido, mas testemunhas disseram que ele havia sido levado por um homem que pilotava uma moto logo que o fogo se alastrou pela residência. A filha Flávia, de 19 anos, mãe do bebê, não era vista em casa havia algumas horas.

Os policiais fizeram buscas na região e acabaram encontrando o corpo de Flávia, também com ferimentos de faca, no meio de uma lavoura, durante a manhã. A criança de dois anos foi localizada na casa do avô paterno. Com as descobertas feitas durante o dia e informações de vizinhos, a polícia acredita que o homem tenha assassinado a ex-mulher e depois se dirigido à casa da mãe dela, onde matou também a ex-sogra e ateou fogo à construção mista de madeira e alvenaria. E de onde retirou o filho pequeno para entregá-lo ao avô antes de fugir.

Tudo o que sabemos sobre:
mortemãefilhaSP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.