Mãe e filho descrevem drama desencadeado por acne

Jovem de 15 anos é um dos entrevistados de documentário sobre problema que afeta autoestima.

BBC Brasil, BBC

27 de novembro de 2012 | 18h42

Um jovem de 15 anos afirma à BBC que um problema comum entre jovens mudou completamente a sua vida: a acne.

Will, da região inglesa de Yorkshire, foi um dos entrevistados de um documentário da BBC sobre pessoas que tomam medidas extremas contra a acne.

O adolescente conta que o problema pode ser grave para alguns jovens, e precisa ser levado a sério.

A mãe revela que ele estava desesperado para se livrar do problema de pele.

Ela conta que Will está fazendo um tratamento em uma clínica e que sua autoestima estava tão baixa que o jovem sequer conseguia olhar os pais nos olhos.

Medicação

O documentário Dying for Clear Skin também conta a história de jovens que tomam o remédio Roaccutane. Segundo alguns especialistas, o medicamento pode causar sintomas como depressão e pode levar até mesmo ao suicídio.

Dermatologistas britânicos estão preocupados com sinais de que alguns dos adolescentes que tomam o remédio, em tese, não precisariam do medicamento.

"O Roaccutane é usado em demasia", diz o médico Tony Chu, que diz só prescrever a medicação em casos extremos.

Os pais de Jesse Jones, um jovem de 24 anos da região de Dorset, culpam em parte o remédio pelo suicídio do filho no ano passado.

Derek Jones, pai de Jesse, diz que o rapaz estava profundamente deprimido devido à acne.

"Seu desprezo a si mesmo era todo devido à acne. No começo, a culpa era da acne, mas o Roaccutane piorou a situação", diz Derek.

A Roche, empresa fabricante do remédio, afirma que não há estudos que comprovem nenhum elo entre o Roaccutane e depressão. Segundo a companhia, apenas uma pessoa em cada 10 mil tem sintomas deste tipo.

Mais de meio milhão de pessoas usam o Roaccutane em todo o mundo - entre elas, nove pessoas que usam o remédio cometeram suicídio entre setembro de 2010 e setembro de 2011. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.