Mães de bebês com microcefalia pegaram zika vírus em Birigui

Três mães tiveram contato com o vírus na fase inicial de gravidez no interior de São Paulo. Uma das crianças já teve alta, enquanto as outras duas seguem internadas na UTI

José Maria Tomazela, O Estado de S.Paulo

10 Setembro 2016 | 11h35

SOROCABA – Três mães que geraram bebês com microcefalia na Santa Casa de Araçatuba, interior de São Paulo, nos últimos 15 dias, tiveram contato com o zika vírus na fase inicial de gravidez, segundo o hospital. As parturientes moram em Birigui, cidade da região, e apresentaram sintomas do zika vírus, transmitido pelo mosquito Aedes aegypti, nos três primeiros meses de gestação, segundo o diretor clínico do hospital, Sérgio Smolentzov. “Os bebês têm sorologia positiva para o vírus e são portadores de microcefalia, ficando evidente a relação do contágio com a alteração apresentada no nascimento”, disse.

As crianças nasceram com perímetro cefálico inferior à medida padrão definida pela Organização Mundial de Saúde (OMS), caracterizando a microcefalia. Duas delas permanecem internadas na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) neonatal, enquanto o terceiro bebê já teve alta hospitalar. O histórico e os exames das gestantes, bem como as amostras colhidas dos recém-nascidos foram enviados ao Instituto Adolfo Lutz, em São Paulo. Segundo o médico, os exames moleculares exigidos pelo protocolo do Ministério de Saúde, que têm resultados previstos para 30 dias, devem confirmar os casos. Apesar da mal formação, os bebês não correm risco de morte.

Mais conteúdo sobre:
Aedes Aegypti Zika

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.