Maio no museu

'O monte Emei', pintura do chinês Zhang Daqian

O Estado de S.Paulo

03 de maio de 2013 | 02h12

Além de entrada grátis em todos os sábados de maio (dias 4, 11, 18 e 25), 17 museus estaduais prepararam uma série de atividades especiais sob o tema 'Museu MeueSeu: de todo mundo'. Amanhã (4), não perca a oficina de fotografia com câmera pinhole, no MIS (Av. Europa, 158, 2117-4777), onde os participantes aprendem processos de revelação em preto e branco. Confira a programação completa em: bit.ly/semanamuseus.

Em 1870, o banqueiro Henri Cernuschi se aventurou pela Ásia e trouxe para sua casa, na França, valiosas obras de arte. Era o embrião do Musée Cernuschi, o 2º maior museu francês de arte oriental.

Pela primeira vez, parte disso vem ao Brasil. A mostra Seis Séculos de Pintura Chinesa - Coleção do Musée Cernuschi, Paris tem 120 pinturas elaboradas entre a Dinastia Ming (1368-1644) e o período anterior à Revolução Cultural Chinesa (as obras mais recentes são da década de 1950).

A coleção é distribuída cronologicamente por seis salas. Tudo começa com 12 leques de papel da Dinastia Ming. Em quase todas as obras, as ilustrações vêm acompanhadas de textos caligrafados. Não sabe chinês? Sem problema: ao lado de cada peça, foi incluída a tradução.

Zhang Daqian, um dos pintores chineses mais importantes do século 20, participa com dez obras. O artista viveu em Mogi das Cruzes de 1953 a 1972. Embora todas as pinturas da mostra sejam feitas de papel, o catálogo não será impresso. Pela 1ª vez, a Pinacoteca oferece uma versão digital, que estará disponível no site do museu em 10/5. Míriam Castro

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.